Sopa digital

Investir em tecnologia é mais do que otimizar sistemas, é capacitar pessoas

Sopa digital

Investir em tecnologia é mais do que otimizar sistemas, é capacitar pessoas

Há 10 anos o setor de saúde era um dos mais atrasados na modernização de sua gestão no Brasil. A adoção de tecnologias de informação e comunicação (TIC) se concentrava em áreas administrativas e operacionais.  Poucas empresas adotavam soluções mais avançadas. Hoje talvez o setor seja um dos mais demandantes de soluções de TIC.

Essa evolução virou uma parafernália de soluções e ofertas de serviços que funde a cuca dos executivos. Uma verdadeira sopa digital: IOT, block chain, big data, automatização de faturamento, prontuário eletrônico, agendamento em rede, armazenamento em nuvem, prescrição médica eletrônica, apoio à decisão clínica, protocolos clínicos digitais, criptografia de dados, rastreamento de ativo, mobilidade sem token, chamada de enfermagem, checagem beira-leito…

Além dos tradicionais fornecedores de serviços e soluções, aparecem novos a cada dia. Nomes e siglas que confundem a cabeça dos executivos, mas que precisam estar atualizados sobre essa transformação. Os líderes têm a obrigação de, no mínimo entender como evolui a gestão de seu setor e as tecnologias aplicáveis para melhorar o desempenho de sua empresa. Como achar o caminho para conhecer o que existe e poder selecionar adequadamente o que se necessita?

A grande empresa conta com equipes que suportam decisões sobre TIC e, ainda assim, algumas fazem besteiras. Nas entidades de menor porte, ou situadas longe dos grandes centros, como procede sua liderança na escolha desse caminho? Pode-se cair na conversa de profissionais sem maior vivência, contratar um consultor porque o amigo indicou, seguir a recomendação de um provedor que só tem interesse na venda de seu produto, seguir a orientação do contador…

O que pode ser feito para evitar ou minimizar isso?

  • Elabore um plano diretor de TIC. Contrate um consultor desvinculado de provedores de soluções, serviços e equipamentos. Executivos que passaram com sucesso por essa experiência podem auxiliá-lo. Busque referências e visite seus clientes. Não decida pelo preço; o barato pode sair caro.
  • Monte um grupo de trabalho com pessoas de diferentes áreas da empresa, conhecedores de suas necessidades e seus processos operacionais e clínicos.
  • Faça um exercício sobre o estágio atual de sua organização, compare com o mercado ao seu redor, identifique as necessidades para a modernização de sua gestão, as melhorias de eficiência desejadas e estabeleça um rumo a alcançar com a transformação digital.
  • Explore as alternativas e respectivos planos, custos e recursos humanos e operacionais necessários. Estabeleça prioridades, defina um plano de ação com responsáveis e prazos.
  • Defina um responsável para liderar a implementação, subordinado diretamente ao CEO; não necessita ser um profissional de TI, mas tem de conhecer a fundo a organização.
  • Siga o plano; reveja seu progresso no mínimo mensalmente; observe como os usuários estão recebendo as inovações e incorporando-as aos seus métodos de trabalho, tome medidas corretivas se necessário; festeje quando etapas forem concluídas.

E sucesso!

Por José Luiz Bichuetti, consultor empresarial. Desenvolveu sua carreira como executivo e como consultor de empresas de diferentes setores, inclusive na área da saúde. Engenheiro eletrônico pelo ITA, MBA pela University of Hartford, USA. Cursou o OPM - Owners Presidents Management Program da Harvard Business School.

Setembro | 2019

As lições de Inovação em Saúde da China
Doutor, cuidado com o celular!

Publicações similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu