Experiência do paciente em alta

Assunto foi tema central de encontro na Cleveland Clinic e no Hospital Albert Einstein. Saiba o que foi discutido.

Experiência do paciente em alta

Assunto foi tema central de encontro na Cleveland Clinic e no Hospital Albert Einstein. Saiba o que foi discutido.

Levar a melhor experiência é promover o melhor cuidado clínico, segurança e conforto possíveis para os pacientes. Também é o entendimento que essa é uma responsabilidade coletiva dos colaboradores de uma instituição de saúde e não apenas dos médicos e enfermeiros. As discussões sobre como transformar esse discurso em prática tem movimentado grandes eventos.

Já na sétima edição, o Patient Experience: Empathy + Innovation Summit, organizado pela Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, em parceria com oito organizações, entre elas a The Joint Commission, recebeu em maio de 2016 cerca de 2.000 participantes, vindos de 37 países.

No mês seguinte, o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) ofereceu em São Paulo o I Simpósio Latino Americano de Experiência do Paciente. Foram cerca de 700 presentes, um número bastante expressivo de interessados em um assunto que estava sendo abordado de forma estruturada pela primeira vez no Brasil. A Revista Melhores Práticas foi a mídia apoiadora do evento.

“Os dois eventos mostraram que além da experiência do paciente, do cuidador e da equipe assistencial, os líderes estão empenhados em discutir a experiência humana, abordando como conduzir a melhoria e diferenciação em nossas organizações”, conta Kelly Rodrigues, sócia-diretora da Patient Centricity Consulting, empresa nacional voltada a ajudar na implementação da metodologia de atenção centrada no paciente.

Em comum, os encontros destacaram a relevância de direcionar o cuidado para o que realmente importa para o paciente, o uso de ferramentas de marketing e comunicação no engajamento e contato, a responsabilidade do médico como líder do processo assistencial e o zelo indispensável aos profissionais que recebem diretamente as demandas dos pacientes e seus acompanhantes.

Segundo o convidado internacional do Simpósio organizado pelo Einstein, Jason Wolf (ler entrevista exclusiva nessa edição), as boas instituições realmente acreditam que de fato estão cuidando de seus pacientes, o que não deixa de ser verdade. O ponto-chave é saber como esse cuidado quer ser recebido.

O Storytelling, que é a capacidade de contar narrativas de maneira relevante (depoimentos, por exemplo) e o Content Marketing, que trata de apresentar conteúdo relevante como estratégia para atrair e reter o público, estão entre as ferramentas que podem ajudar no engajamento e na capacidade de influenciar comportamentos positivos.

“O fato é que o mundo digital está transformando as relações e isso não é diferente na saúde. Temos que aprender a tirar o melhor proveito dessas mídias e criar experiências on-line e offline para nossos pacientes, pois eles querem interagir conosco de várias maneiras ao longo da sua jornada, tornando a comunicação consistente um desafio ainda maior”, conta Kelly Rodrigues.

Gilmara Espino - Nov/2016
Hospital Santa Cruz investe em treinamento e orientação do funcionário para alcançar a cultura da segurança do paciente
Pesquisa médica no Brasil

Publicações similares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu